Como estudar com mapas mentais para concurso

Mapas mentais para concurso

Usar mapas mentais para concurso é uma opção que vem ganhando fama nos últimos anos. Afinal, com essa técnica é possível amenizar o trabalho que é estudar longos textos e correr o risco de esquecê-los logo depois. Dito isso, veja a seguir, tudo sobre esses mapas.

Organizar ideias

Ao ler um livro, assistir um filme, ou até mesmo depois de passar horas estudando para algum concurso, sua mente é sobrecarregada com os mais variados tipos de informações. Assim, se não tomar cuidado, grande parte desse conhecimento se perde.

Criar métodos que ajudem a organizar essas ideias e impedir que elas fiquem soltas é uma estratégia essencial. Dessa maneira, toda forma de estruturar e fixar dados é válida, desde que seja capaz de alinhar os sentidos e garantir um bom aprendizado.

Pirâmide de Aprendizagem

Pessoa estudando

O psiquiatra americano William Glasser defende a tese de que, para obter resultados melhores, o estudo deve ser feito de modo ativo, não passivo. Aliás, isso assegura uma eficácia maior ao reter informações.

Para saber mais sobre isso, conheça a teoria da Pirâmide de Aprendizagem. Nela, cada ação apresenta uma porcentagem, que determina o seu respectivo nível de eficiência:

  • 10%: aula comum;
  • 20%: leitura;
  • 30%: vídeos e imagens;
  • 50%: demonstrações;
  • 70%: debater em grupo;
  • 80%: praticar;
  • 95%: ensinar.

O que é um mapa mental?

Pessoa com duvida sobre mapas mentais para concurso

Esse termo foi proposto por Tony Buzan, psicólogo e escritor inglês, no livro Mapas Mentais.

Tony o criou enquanto cursava a faculdade, pois tinha problemas para aprender alguns conteúdos.

Além disso, baseou-se em estudos de Leonardo Da Vinci e em filósofos do Período Clássico da Grécia Antiga, devido a sua capacidade de relacionar e estruturar ideias. 

Em geral, os mapas mentais consistem em diagramas que exploram tanto um conceito central quanto suas ramificações. Isto é, são resumos repletos de cores, símbolos, frases e setas que têm por objetivo facilitar o mapeamento e a associação de ideias.

De maneira semelhante, ao enquadrá-lo na Pirâmide de William Glasser, eles uniriam leitura (20%), imagens (30%) e prática (80%). Logo, não há dúvidas que mapas mentais para concurso garantem um conhecimento sólido.

4 benefícios de usar mapas mentais para concurso

Mapas mentais para concurso

Com certeza, essa prática mental traz consigo uma série de vantagens para o concurseiro. Isso porque, além de conseguir dinamizar o estudo, ela consegue facilitar várias tarefas do dia a dia, veja.

1 – Ajuda na memorização

Para conseguir colocar as ideias no papel, você terá de analisar cada eixo do tema, selecionar imagens e utilizar cores, para moldar o seu mapa da melhor maneira possível. Dessa forma, o entendimento do assunto aumenta bastante.

2 – Traz qualidade ao trabalho

Para muitas pessoas, trabalhar em grupo sempre foi uma dor de cabeça. Contudo, ter um bom plano de divisão de tarefas, a fim de simplificar os processos, é essencial. Com isso, pode-se alcançar os objetivos de um jeito mais simples e rápido.

3 – Auxilia a fixar metas

No dia a dia, separar e manter metas é trabalhoso. Então, fazer mapas mentais organizando todas as obrigações da sua rotina garante uma visão mais ampla do que deve ser feito.

4 – Mapas mentais para concurso melhora o desempenho

Dentro do contexto acadêmico, algumas pesquisas relataram depoimentos de alunos sobre a eficácia dessa ferramenta. Descubra, logo abaixo, alguns benefícios:

  • Aumento de 20% a 30% na produtividade;
  • Criatividade cresceu em 30%;
  • Maior gestão de tempo;
  • Economia de 7 horas semanais antes gastas em atividades;
  • Facilidade para entender tarefas complexas.

Como fazer um mapa mental?

Como fazer mapas mentais para concurso

Agora que você já sabe definir o que é essa técnica e conhece seus benefícios, confira o passo a passo para fazer mapas mentais para concurso. A princípio, é ideal utilizar papel e caneta.

Defina o tema

O tema, ou seja, o assunto é o começo de tudo. Logo, ele deve aparecer no meio da folha, escrito em letras grandes. Isso garante que a ideia principal seja percebida de uma forma mais fácil e que a leitura fique mais simples e natural.

Escolha os subtópicos

Ao lado do tema, utilizando cores diferentes para cada um, adicione os principais subtópicos que serão explorados. Em seguida, puxe setas do título em direção a eles. Recomenda-se usar uma ou duas palavras, nada de frases muito longas.

Adicione os dados de cada subtópico

Para complementar, é interessante colocar as palavras-chave relacionadas a cada subtópico. Assim, a compreensão fica mais fácil e o mapa se torna mais sugestivo, pois dá pistas sobre o que será abordado.

Seja criativo

A fim de garantir que os dados sejam, de fato, compreendidos, tente desenhar ou colar imagens. Afinal, isso contribui para o processo de fixação, além de ser uma estratégia muito eficiente para embelezar todo o esquema.

Aplicativos para fazer mapas mentais

Mapas mentais para concurso

Caso você prefira uma opção mais prática que o tradicional papel e caneta, existem outras alternativas disponíveis. Assim, com elas, você pode levar seu mapa para qualquer lugar, além de poder personalizá-lo de diferentes maneiras.

Mindmeister

Nesse programa, é possível criar uma quantidade ilimitada de tópicos e subtópicos, utilizar linhas, balões e adicionar texto. Além do mais, é possível mudar a aparência dos itens e adicionar elementos de sinalização, como setas e traços.

Entretanto, é preciso assinar o plano pago para conseguir salvar os mapas mentais para concurso. Assim, isso acaba sendo um problema para a maioria das pessoas que usam o app.

Canva

O aplicativo Canva, por outro lado, é gratuito e não perde em qualidade para os demais. Afinal, consta com mapas mentais já prontos e personalizados, portanto, basta adicionar o seu texto.

Estudar só pelos mapas mentais é o suficiente?

Pessoa com duvida

Mesmo que utilizar os mapas mentais para concurso seja uma estratégia de organização bem estruturada e fácil de fazer, eles sozinhos não bastam. Isto é, deve-se levar em conta que eles não conseguem abranger todos os assuntos.

Em provas de matemática, por exemplo, estudar por meio de um mapa é ineficaz. Dessa forma, recomenda-se usá-los para testes discursivos, em que a linguagem está muito presente. 

O ideal é conciliar os mapas com outras técnicas de estudo. Dessa forma, ao terminar o diagrama, tente explicá-lo para algum conhecido. Assim, você exercita outras partes do cérebro e consegue dinamizar o seu estudo.

Logo, será muito mais fácil conseguir sua aprovação e como resultado, levar o conteúdo absorvido para a sua vida, garantindo uma educação duradoura e de qualidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima